sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Hidrografia da Região Sul

HIDROGRAFIA
No Rio Grande do Sul distingue-se, basicamente, dois grupos de cursos d'água, os que correm para o Atlântico e os que correm para o Rio Uruguai, conforme mostra o mapa.
A região do Planalto Médio, hidrograficamente pertence à bacia do Rio Uruguai, embora as nascentes dos Rios Taquari e Jacuí originam-se nessa região (VIEIRA, 1984).
A Bacia Hidrográfica do Uruguai, ocupando uma área de 178.235 km2 está representada pelo Rio Uruguai, seus formadores e afluentes até a confluência com o Rio Quaraí, na fronteira do Brasil com o Uruguai. O Rio Uruguai, bem como seus afluentes, a montante de Porto Lucena (RS), está muito encaixado, apresentando-se sinuoso e com curvas meandrantes. Apresenta, também, dois estreitamentos no leito, um a jusante de Marcelino Ramos (RS), onde o rio apresenta um leito rochoso, bastante largo que só é todo ocupado em épocas de cheia e outro, que ocorre na reserva do Parque Estadual do Turvo, em Tenente Portela (RS), onde o rio concentra suas águas em um lado do leito, cuja margem esquerda é rebaixada. Nesse trecho, o Rio Uruguai recebe, entre outros, pela margem direita, os Rios do Peixe, Irani, Chapecó, das Antas e Peperi-Guaçu e, pela margem esquerda, os Rios Forquilha, Ligeiro, Passo Fundo, da Várzea, Guarita e Turvo. Todos se apresentam encaixados, com corredeiras e quedas d'água em seus leitos, possuindo elevado potencial energético, em grande parte já utilizado (JUSTUS, 1990).

O Rio Ibicuí com seus dois tributários ao Sul, o Santa Maria e o Ibirapuitã, juntamente com seus tributários à direita como o Toropi, Jaguari e Itu, pertencem a bacias do Uruguai. Também correndo na direção Oeste, no limite com a República do Uruguai, aparece o Rio Quaraí. O Rio Quaraí e o Rio Ibicuí com seus tributários ao sul e a parte inferior dos tributários ao Norte pertencem à região da Campanha.
Na região do Planalto, mais propriamente nas Missões, aparece com destaque o Rio Ijuí que também pertence à bacia do Uruguai.
Dentre os rios que correm para o Atlântico, os oriundos do próprio litoral, devido à sua pouca largura, ao fraco declive e à natureza dos areais, são pouco expressivos; o mais notável deles é o Rio Chuí.
De maior importância são as barras de Rio Grande e de Tramandaí. O canal de Rio Grande é o escoadouro da Lagoa dos Patos, que recebe cerca da metade das bacias hidrográficas do Estado. O Tramandaí, de maneira semelhante, embora em menor escala, recolhe as águas da vertente oceânica da Serra Geral, reunidas antes em numerosos lagos ligados entre si.
A Serra do Sudeste, hidrograficamente pertence à bacia atlântica, dirigindo todos os seus cursos de água para o escoadouro comum de Rio Grande. Sobressaem-se pelo seu volume, os Rios Jaguarão, Piratini e Camaquã. Os rios que nascem no talude norte desta serra, irão correr primeiramente para o Rio Jacuí.
O Rio Jacuí, o maior do interior do Estado, tem suas nascentes no Planalto Médio, escoando primeiramente no sentido sul e posteriormente no sentido Leste, pertencendo portanto à bacia do atlântico. Durante seu percurso para o leste recebe o Rio Taquari, com seu afluente, o Rio das Antas, que drenam respectivamente as Encostas do Nordeste e Campos de Cima da Serra.
As bacias hidrográficas atuais, da Região Sul do Brasil, aparentemente, começaram a ser implantadas no Terciário Inferior, com a instalação de condições climáticas de maior umidade. A rede de drenagem dessa região, após sua gênese e evolução, influenciada em parte pelos fatores estruturais e emoldurada pelos aspectos geomorfológicos, apresenta-se distribuída por duas grandes bacias hidrográficas: a do Paraná e a do Uruguai e por múltiplas sub-bacias de pequeno e médio portes (JUSTUS, 1990).


De acordo com VIEIRA (1984), o Rio Grande do Sul é drenado por uma densa malha hidrográfica, onde se destacam dois grandes coletores de água: o Rio Uruguai e o sistema Vacacaí-Jacuí. Uma outra distinção é para os coletores lagunares de leste.
Para efeito do presente trabalho, usou-se as 22 sub-bacias hidrográficas do Rio Grande do Sul como unidades administrativas para a apresentação de resultados, aqui denominadas de Bacias Hidrográficas, como mostra o mapa.
http://coralx.ufsm.br/ifcrs/hidrografia.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário